domingo, 1 de julho de 2018

Queremos un mundo mejor, pero… ¿qué hacemos para tenerlo?




Nos quejamos, constantemente, de todo o casi todo. Nos molesta la falta de seguridad, la contaminación del aire, del agua, los problemas climáticos, la falta de respeto hacia el medio ambiente, hacia el prójimo, etc.

Sin embargo, pocas veces nos preguntamos quién es responsable de que el mundo esté como está. 

La respuesta es muy simple: somos nosotros mismos los que hemos construido la actual realidad, los que maltratamos nuestro propio hábitat, los que no respetamos los derechos de los demás, los que vamos supervalorando la individualidad en detrimento de la colectividad a la que pertenecemos, los que nos preocupamos por darles bienes materiales a nuestros hijos en lugar de inculcarles valores. Unos más, otros menos, unos inconscientemente, otros a sabiendas de las consecuencias de las propias acciones.
 
Si realmente pretendemos modificar esta realidad, lo primero es asumir nuestra cuota de responsabilidad y decidir qué actitudes vamos a tomar para lograrlo. 

De la misma manera que le hemos hecho tanto daño a nuestro mundo, tenemos que encontrar los remedios y los tratamientos para curarlo y debemos hacerlo.
¿Cómo? 

* Podemos empezar con actitudes sencillas, como cuidar los espacios públicos no deteriorando los bienes de uso común, no tirando basura en el piso ni dañando plantas o árboles. 

* Con respecto a la preservación del medio ambiente es posible asumir varias otras actitudes positivas, por ejemplo no malgastar el agua ni la energía eléctrica, reciclar o sustituir el transporte público por la bicicleta, que al mismo tiempo se transformará en un hábito saludable para nosotros mismos. 

* Siendo voluntarios o haciendo donaciones a instituciones benéficas, con lo que ayudaremos a quienes más lo necesitan. 

* Y, algo muy importante, actuando y enseñándoles a nuestros hijos a actuar con respeto hacia los demás, siendo amables, tolerantes, solidarios y serviciales. 

Si cada uno de nosotros se propone colaborar con un pequeño grano de arena para modificar la realidad actual, entre todos, seguro que lo vamos a conseguir. Tomemos conciencia de que el futuro lo modelamos nosotros, día a día, y pongamos manos a la obra. ¡A por el mundo que queremos! 

Texto retirado da plataforma CNA Net

Fotografia tirada em minha viagem para a Serra da Canastra, em São Roque de Minas, nascente do Rio São Francisco (nosso "Velho Chico"). Na foto estou com as amigas Luciere Xavier e Mayra Carolin.




domingo, 24 de junho de 2018

A mudança vem de cada um...


Belíssima interpretação da canção "Cambiar el mundo" do cantor e compositor argentino Alejandro Lerner.
Uma canção que nos faz refletir sobre as mudanças que desejamos ver em nossa sociedade. Como dizia Paulo Coelho: "o mundo muda com seu exemplo, não com a sua opinião".



A fábula do beija-flor
Autora: Wangari Maathai – Prêmio Nobel da Paz de 2004

Era uma vez um Beija-Flor que fugia de um incêndio juntamente com todos os animais da floresta. Só que o Beija-Flor fazia uma coisa diferente: apanhava gotas de água de um lago e atirava-as para o fogo. A águia, intrigada, perguntou: - "Ô bichinho, achas que vais apagar o incêndio sozinho com estas gotas?" - "Sozinho, sei que não vou", respondeu o Beija-Flor, "mas estou a fazer a minha parte".

Envergonhada, a águia chamou os outros pássaros e, juntos, todos entraram na luta contra o incêndio. Vendo isto, os elefantes venceram seu medo e, enchendo suas trombas com água, também corriam para ajudar. Os macacos pegaram cascas de nozes para carregar água. No fim, todos os animais, cada um do seu jeito, acharam maneiras de colaborar na luta. Pouco a pouco, o fogo começou a se debilitar quando, de repente, o Ser Celestial da Floresta, admirando a bravura destes bichinhos e comovido, enviou uma chuva que apagou de vez o incêndio e refrescou todos os animais, já tão cansados, mas felizes...

Que possamos, todos nós, ter a coragem de fazer a nossa parte ao invés de esperar que a mudança venha sempre dos outros.


domingo, 1 de outubro de 2017

Como organizar o espaço com pouco dinheiro

A gente sempre tem em casa um monte de coisinhas espalhadas por todo o lado né?!?
Pois hoje tenho pra vocês um passo a passo de como deixar a sua mesa mais organizada gastando pouca grana.
Assistam ao vídeo abaixo gravado no nosso ateliê "Armarinho da Fê". Espero que gostem da dica de hoje ^^


domingo, 27 de agosto de 2017

Não jogue fora o seu guarda-roupas quebrado! Veja que ideia incrível

À todo vapor o Projeto R.A.E. continua com suas práticas de redução de lixo!

Por aqui tínhamos um guarda roupas quebrado que optamos por não jogar fora. O que foi feito com ele? Um lindo suporte para as flores do nosso jardim! ^^


O meu pai foi o responsável por cortar a madeira do velho guarda roupas e montar o nosso novo móvel para jardim. A ideia de fazer esse móvel também foi dele.
Fiquei responsável por "plastificar" a estante para que a água que escorre dos vasos, não acabe estragando a madeira do móvel. Como fiz isso?

Usei plástico para forrar mesas (encontrado em papelaria) e um pouquinho de fita adesiva marrom (pode ser transparente também). Recortei o plástico de acordo com o formato da nossa estante e fixei ele com a fita. Prontinho! Estante pronta para ser usada ^^

Espero que tenham gostado da nossa ideia de hoje.
Sigam o nosso blog, é muito simples: basta clicar no botão "seguir" que fica do lado direito da sua telinha (me ajuda muito a manter o projeto). Assim, sempre que houver uma postagem nova por aqui, você recebe um recadinho meu aí.

Gratidão!

domingo, 6 de agosto de 2017

Tráfico internacional de lixo - você sabia?

Você sabia que além dos tráficos de drogas, armas e pessoas existe também o tráfico internacional de lixo? Uma triste realidade. 
Segundo o Instituto Brasileiro Giovanni Falcone "Ao contrário do imaginado, os lucrativos “negócios” mafiosos não se exaurem no tráfico de drogas, armas e pessoas. Outro filão enche os bolsos das máfias e de corporações industriais aliadas do Primeiro Mundo. Trata-se do tráfico internacional de lixo, perigoso à saúde humana e ao meio ambiente.
Só em 2003, o “business” do tráfico planetário de lixo rendeu 15 bilhões de euros (fonte européia). E entre 2000 e 2002, o ganho progrediu de US$ 10 bilhões a US$ 12 bilhões (fonte norte-americana)." 
No Brasil, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12.305 de 2 de agosto de 2010, proíbe a importação de resíduos perigosos em seu artigo 49 (veja a transcrição abaixo):
"Art. 49. É proibida a importação de resíduos sólidos perigosos e rejeitos, bem como de resíduos sólidos cujas características causem dano ao meio ambiente, à saúde pública e animal e à sanidade vegetal, ainda que para tratamento, reforma, reúso, reutilização ou recuperação."
É necessário que haja maior fiscalização nas fronteiras a fim de evitar esse crime ambiental e maior investimento no tratamento dos resíduos nos locais gerados.

domingo, 30 de julho de 2017

"Possibilidades de Futuro"

"Possibilidades de Futuro": este é o título do livro da administradora Cristiane Encinas.
O livro é um bom guia para ser trabalhado em escolas de ensino infantil e fundamental. O seu conteúdo é um grande auxiliador para professores da escola básica. Por ser uma obra do ano 2004, alguns dados estatísticos devem ser atualizados (o que pode ser facilmente resolvido buscando nos sites que a autora utilizou para fundamentar sua pesquisa), mas a essência e os conceitos do livro são ainda bem atuais.
Hoje deixo para vocês esta dica de leitura para auxiliar os trabalhos com gestão de resíduos e educação ambiental.
Um grande abraço a todos os leitores do meu blog!


domingo, 23 de julho de 2017

Repaginando caixinhas cartonadas

Você se lembra da postagem do Projeto R.A.E. trazendo uma dica de como reutilizar caixinhas de leite?


Agora você pode assistir ao nosso vídeo no canal do Armarinho da Fê e descobrir como foram feitas essas estampas nas caixinhas cartonadas! Aproveite e se inscreva no canal, pois logo logo ensinaremos como montar essas caixinhas da foto acima a partir das embalagens cartonadas que vocês provavelmente têm em casa.